Sabrina Orlandin | Nutri Materno Infantil

Blog

Tudo o que você precisa saber sobre suplementação de vitaminas para bebês

18.Jun

Tudo o que você precisa saber sobre suplementação de vitaminas para bebês | Sabrina Orlandin Nutricionista Materno-infantil

Saiba se é preciso fazer a suplementação do seu bebê, quais os suplementos de vitaminas mais comuns e indicados para os pequenos e como funciona o processo.

A suplementação de vitaminas para os bebês é um assunto muito sério e que merece atenção, principalmente por parte das mamães e seus pediatras/nutricionistas. Antes de mais nada, é preciso que você entenda: a suplementação deve ser feita sempre com cautela e somente com orientação.

Ao andar por farmácias e mercados, é possível encontrar uma série de opções de suplementação nas prateleiras, cada uma com uma função diferente que pode agregar positivamente para a saúde do bebê. Mas é preciso estar atento: afinal, seu bebê realmente precisa ser suplementado? O fato é que a necessidade diária de suplementos é pequena.

A suplementação mais comum em bebês é da Vitamina D e o Ferro. A Sociedade Brasileira de Pediatria orienta a ofertar a vitamina D desde o nascimento. Já o ferro a partir dos 3 meses para prevenção de anemia na infância.

De resto, é importante analisar alguns pontos antes de recorrer a elas: procurar um especialista que saiba as reais necessidades de suplementação ao seu pequeno, entendendo se é necessário ou não, e, caso a resposta seja sim, quais suplementos devem ser utilizados.

Quais os suplementos de vitaminas mais comuns utilizados para os bebês?

Algumas suplementações agregam positivamente para a saúde dos bebês. Conheça os principais e mais comuns suplementos de vitaminas, e suas indicações:

- Vitamina D: além dos banhos de sol, é indicado que os bebês tomem 400 UI de vitamina D diariamente – da primeira semana de vida ao primeiro ano. Depois, são 600 UI diárias até o segundo ano. As doses preconizadas hoje são seguras e necessárias. As fórmulas lácteas que substituem o leite materno são incrementadas com o nutriente, então vale consultar o pediatra para saber quando o bebê está recebendo dele.

- Vitamina A: não é obrigatória, mas as apresentações da vitamina D geralmente já costumam conter o nutriente, que é bem-vindo. Ela também é importante para o desenvolvimento dos ossos, pele e visão. Depois do segundo ano de vida, não há a indicação de continuar suplementando, mas investir nos alimentos fontes do nutriente (cenoura, espinafre, manga e mamão).

- Ferro: O ferro do leite materno é muito bem absorvido, e as fórmulas lácteas também são fortificadas com ele.

- Outras vitaminas: diversos nutrientes são necessários para o desenvolvimento das crianças, mas a maioria deles é obtida com a amamentação exclusiva até os seis meses e a introdução de uma alimentação completa e balanceada. O leite da mãe é a melhor fonte de vitaminas, sempre!

- Alguns suplementos para potencializar o sistema imune e também para o sistema neurológico são indicados individualmente.

O processo de suplementação: como saber se meu bebê precisa?

Para saber se seu bebê precisa de suplemento, é necessário estar atenta aos sintomas que o bebê apresenta, além da dosagem de vitamina por meio de exames de sangue. As deficiências são raras, mas, quando ocorrem, é possível identificar os sinais: crescimento comprometido, atrasos no desenvolvimento, baixa estatura, etc.

Nestes casos é importante procurar a ajuda de um especialista, como o pediatra do seu bebê e o nutricionista, que vão saber se o seu bebê realmente necessita de suplementações e quais são as mais indicadas para ele.

Marque sua consulta comigo, eu posso ajudar você nesse processo de suplementação, indicando as vitaminas que o seu bebê mais precisa e acompanhando o crescimento e desenvolvimento dele!

Clique para saber mais!
Receba nossa newsletter!