Sabrina Orlandin | Nutri Materno Infantil

Blog

Intolerância à lactose na infância: o que as crianças sentem e como tratar

09.Jun

Intolerância à lactose na infância: o que as crianças sentem e como tratar | Sabrina Orlandin Nutricionista Materno-infantil

Desde o nascimento de um bebê, o leite materno é a principal e única fonte de alimento para ele, suprindo todas as necessidades durante os primeiros 6 meses. Com o passar dos anos, o leite continua presente na vida dos pequenos, mas daí, em formatos variados e diferentes opções: queijo, iogurte, leite integral, leite vegetal, biscoitos, pães, e por aí vai...

Entretanto, há crianças que não têm uma boa aceitação ao leite de vaca e seus derivados. Isso pode acontecer desde o nascimento ou se desenvolver ao longo do crescimento, apresentando a famosa intolerância à lactose - carboidrato do leite, também chamado de açúcar do leite. Os casos são raros, mas é possível existir sim!

A intolerância à lactose acontece quando o corpo não produz quantidade suficiente de lactase, enzima responsável pela digestão da lactose.

Quais os sintomas de uma criança intolerante à lactose? Como identificar?

É preciso estar bem atento aos sinais e sintomas que seus pequenos dão, desde o seu nascimento e também no seu crescimento. Cólica, desconforto, gases, diarreias frequentes e, eventualmente, vômitos ao ingerir leite de vaca, ou até mesmo de alimentos derivados do leite, podem ser sinais de intolerância à lactose.

No caso dos pais, ao notar estes sintomas de forma frequente, é importante alertar o nutricionista e/ou pediatra, afinal, eles também precisam estar atentos. Os especialistas, nestas situações, devem pedir exames que comprovem que a criança não digere com facilidade o açúcar do leite.

Através dos testes, é possível determinar se a criança tem mesmo intolerância à lactose, além de demonstrarem o grau de intolerância. Isso é importante para saber que medidas o médico e o nutricionista vão indicar para a alimentação da criança.

É possível detectar dois tipos de intolerância: a intolerância à lactose primária, que se dá no período que compreende os três primeiros anos de vida, e ocorre por consequência de deficiência genética da enzima lactase, que hidrolisa a lactose. E a intolerância à lactose secundária, que se dá por dano à mucosa intestinal, geralmente após quadros de diarreia, e que deve ser acompanhada pelos especialistas, que darão o diagnóstico devido.

Como tratar a intolerância à lactose na infância?

A intolerância à lactose primária é hereditária e não possui um tratamento. A solução é eliminar totalmente do cardápio das crianças a ingestão de quaisquer alimentos à base de leite e derivados que possuem açúcar natural, chamado de lactose. Já a intolerância secundária é autolimitada, mas, se necessário, deve se corrigir os tipos de alimentos dados aos pequenos e administrar os probióticos que ajudam na modulação intestinal.

O ideal é cortar alimentos com lactose, substituindo por zero lactose, que têm as mesmas propriedades do leite. Também são indicados alimentos vegetais com alto teor de cálcio.

É muito importante, ao identificar que a criança está com intolerância à lactose, procurar um médico e um nutricionista para entender o problema e resolver da melhor forma, através de orientações com os alimentos ideais e o tratamento, quando necessário. Somente especialistas vão indicar o ideal para o seu pequeno e entender exatamente qual o grau de intolerância. É importantíssimo o acompanhamento para restabelecer as condições de saúde da criança, evitando-se alterações no seu crescimento e desenvolvimento.

Eu posso ajudar você nesse momento, mamãe. Vamos juntas mudar esse quadro e dar mais saúde e cuidados na alimentação para que seu pequeno cresça saudável? Fale comigo e agende um horário.

Ficarei feliz em ajudar você e seu filho nesse processo.

Clique para saber mais!
Receba nossa newsletter!