Sabrina Orlandin | Nutri Materno Infantil

Blog

O que NÃO fazer na educação alimentar: confira os principais erros dos pais

19.Abr

O que NÃO fazer na educação alimentar: confira os principais erros dos pais | Sabrina Orlandin Nutricionista Materno-infantil

Todos os pais têm o objetivo de dar uma boa educação para seus filhos e isso também inclui a alimentação. Criar um bom relacionamento com a comida, gerando hábitos saudáveis desde a infância, faz toda a diferença para a saúde dos pequenos e também causa impactos positivos na vida adulta.

No meio desse percurso, especialmente durante a fase de introdução alimentar, podem surgir muitos questionamentos, obstáculos e preocupações, inevitavelmente levando a algumas falhas, afinal, ninguém é perfeito.

Mas, para evitar esses problemas, elenquei alguns erros que os pais cometem em relação à alimentação de suas crianças. Veja a seguir!

O que NÃO fazer na educação alimentar

Confira quais os maiores problemas encontrados nesse processo:

1. Não dar o exemplo
Não é novidade que as crianças aprendem por imitação. Por isso, se você quer que seus filhos comam bem e optem por alimentos saudáveis, a rotina e a cultura de sua casa devem expressar e incentivar isso.

2. Pressionar para comer tudo ou alimentos que não gosta
Se você já ofereceu a comida algumas vezes na mesma refeição, não insista mais. Esse tipo de conflito gera uma relação negativa com o momento da alimentação. Da mesma forma, não peça que a criança coma tudo, mas sim o quanto quiser.

3. Desistir na primeira tentativa
Pode parecer contraditório, mas, assim como não se deve pressionar, também não é recomendado oferecer um alimento uma única vez. Se seu filho não quiser experimentar um ingrediente, prepare de uma forma diferente em outro momento e apresente novamente, até que ele aceite provar.

4. Não envolver as crianças no preparo das refeições
Mesmo crianças pequenas podem estar presentes enquanto os pais cozinham, desde que se tome todas as precauções necessárias. Quando observam o processo de preparo, se tornam mais curiosas em conhecer e provar a comida. Elas podem ajudar a lavar frutas e legumes e arrumar a mesa, por exemplo.

5. Permitir o consumo de alimentos industrializados em excesso
É verdade que salgadinhos, bolachas recheadas, refrigerantes e doces são muito atrativos para as crianças (e até para os adultos). Mas, trazem mais malefícios do que benefícios e seu consumo pode se tornar um hábito ruim, prejudicando a saúde pelo resto da vida.

6. Não deixar que usem as mãos para comer
Esqueça a bagunça. Nos primeiros meses de vida, as crianças estão exercitando seus sentidos e conhecendo o mundo através deles, o que inclui o tato. Deixe que toquem nos alimentos e comam com as mãos até os dois ou três anos, quando a coordenação motora está mais desenvolvida e conseguem usar talheres.

Acerte na introdução alimentar com a minha ajuda!

Além de nutricionista, sou mãe de duas meninas, portanto, sei como esse período pode ser complexo. Pensando em ajudar as mamães e os papais no processo de apresentar os alimentos para as crianças, criei um e-book especial sobre o assunto. Garanta já o seu!

Clique para saber mais!
Receba nossa newsletter!