Sabrina Orlandin | Nutri Materno Infantil

Blog

Qual é a quantidade ideal de comida para o bebê?

31.Mar

Qual é a quantidade ideal de comida para o bebê? | Sabrina Orlandin Nutricionista Materno-infantil

Muitos pais têm dúvida sobre a quantidade ideal de alimento que seu bebê deve consumir, com medo de que ele coma pouco.

Especialmente durante a introdução alimentar, quando a criança começa a ingerir papinhas e outros preparos, além do leite materno, esse pode ser um motivo de preocupação para as famílias.

Confira a seguir alguns esclarecimentos sobre esse assunto! Boa leitura.

Quanto o bebê deve comer?
A quantidade correta varia de acordo com a idade:

- Até seis meses
Nessa época, o aleitamento materno deve ser exclusivo, e, recomenda-se a livre demanda, ou seja, a criança irá mamar o quanto quiser. Uma dica para garantir a nutrição completa é trocar de mama apenas quando uma já estiver vazia, pois o leite final é mais gorduroso e essencial para o desenvolvimento.

- A partir dos seis meses
Esse é o período de início da introdução alimentar. A amamentação à livre demanda deve continuar, pois essa ainda é a principal forma de sustento do seu filho. Porém, já se começa a introduzir as papinhas de frutas e legumes, de forma complementar.

O Ministério da Saúde orienta que se ofereça 100 g de papinha duas vezes ao dia, no almoço e no jantar. Mas, essa quantidade não deve ser seguida à risca por diversos motivos: cada criança tem um organismo e necessidades diferentes, precisando de mais ou menos comida, e, nessa fase, elas ainda estão se habituando ao ato de mastigar e às novas texturas e sabores. Por isso, não se preocupe se seu bebê não consumir exatamente essa quantia.

- A partir dos 9 meses
Nessa idade, a recomendação é de cerca de 250 g por refeição, oferecendo os alimentos sólidos cerca de quatro vezes ao dia. Novamente, esse número não é uma regra! O aleitamento materno também deve continuar, ajudando a garantir uma dieta nutritiva e completa.

Ao longo dos meses, a quantidade vai aumentando gradativamente. O que importa não é a quantia exata de comida, mas sim que seu bebe esteja saudável. Por isso, não deixe de amamentar antes dos 12 meses, pelo menos (o Ministério da Saúde recomenda o leite materno até os dois anos de idade). Não ofereça doces e guloseimas e procure apresentar alimentos e preparos diversos para que seu filho possa ter contato com texturas e sabores variados.

Lembre-se que cada bebê tem um metabolismo diferente, por isso, não se desespere! Se houver uma preocupação com a nutrição da criança, o acompanhamento com o pediatra deve sanar esse medo, ou, caso realmente exista um problema, apresentar as soluções necessárias.

Outra dica essencial é: não force seu filho a comer! Se ele já está satisfeito, ingerir mais comida pode apenas fazer mal, além de criar uma relação ruim com os alimentos, fazendo com que ele enxergue a hora de comer como algo desagradável.

Precisa de ajuda com a alimentação do seu bebê?
Entre em contato comigo e saiba mais sobre nutrição materno-infantil! Posso te ajudar com orientações específicas para as suas necessidades.

Clique para saber mais!
Receba nossa newsletter!