Sabrina Orlandin | Nutri Materno Infantil

Blog

Seletividade alimentar: saiba o que é e como lidar

22.Fev

Seletividade alimentar: saiba o que é e como lidar | Sabrina Orlandin Nutricionista Materno-infantil

Os primeiros anos de vida da criança são um período de formação de muitos aspectos de sua personalidade e costumes. Entre eles, estão os hábitos alimentares!

Por ser uma época de novidades e descobertas, é normal que os pequenos não aceitem todo tipo de comida logo de cara, afinal, ainda estão descobrindo e desenvolvendo seu paladar. Porém, quando essa recusa alcança níveis um pouco maiores, chamamos isso de seletividade alimentar!

Saiba mais sobre isso e como lidar com essa situação com os seus filhos. Acompanhe!

O que é a seletividade alimentar?
Quando uma criança rejeita diversos alimentos, não aceitando consumir preparos e produtos novos, selecionando sempre os mesmos, chamamos isso de seletividade alimentar.

Isso pode continuar durante as fases de crescimento e permanecer na vida adulta, se o problema não for resolvido ainda na infância, pois geralmente se inicia na idade pré-escolar. É necessário muito carinho, dedicação e atenção, mas é possível reverter esse problema!

As principais características são:

- Diminuição da variedade e quantidade de alimentos;
- Comer sempre as mesmas coisas, com as mesmas texturas e modos de preparo;
- Dizer que não gosta de algo mesmo sem ter provado;
- Rejeitar e ter aversão a grupos alimentares inteiros, como verduras, frutas ou vegetais;
- Requer mais de 20 apresentações de uma comida para aceitar provar;
- Ter náusea ou vômito e expressar angústia quando surgir a necessidade de comer novos alimentos.

Porém, existem casos ainda mais graves, que são chamados de dificuldade alimentar. A diferença é que a criança com seletividade ainda consome cerca de 30 itens, pelo menos, aceita pelo menos um alimento por categoria, independentemente do tipo de preparo, é capaz de provar ou tocar a comida, mesmo que com muita resistência e participa das refeições em família, enquanto as que têm a dificuldade alimentar são mais seletivas.

Como lidar com isso?

Essa situação pode gerar muita frustração para os pais, que se sentem culpados por não conseguirem alimentar seu filho como gostariam e se preocupam com o desenvolvimento dele. É recomendado buscar ajuda qualificada, mas, além disso, existem outras dicas.

Escute e leve em conta a opinião da criança
Deixe que ela defina o quanto quer comer, por exemplo, e ofereça alternativas para que ela possa escolher o que colocar no prato. Quando recebem essa autonomia, os pequenos são mais propensos a aceitar novas opções.

Saiba diferenciar a seletividade das particularidades do paladar
Todos temos preferências e isso é natural! Ninguém gosta de tudo, portanto, quando seu filho já experimentou um certo alimento algumas vezes, de formas diferentes, e continua rejeitando, é provável que seja apenas um sabor que ele não gosta.

Faça da refeição um momento agradável
A hora de comer deve ser prazerosa, com a família na mesa e sem pressão, estresse ou pressa. Não se desespere e nem force, mas ofereça os alimentos com cuidado, carinho e estratégias lúdicas.

Evite lanches fora de hora
Quando a criança pedir por petiscos fora do horário das refeições, não ceda! Isso tira o apetite, aumentando as chances de que ela não vá se alimentar direito. Além disso, geralmente os lanches rápidos são opções pouco saudáveis. É interessante oferecer frutas, iogurte e outras escolhas mais benéficas entre as refeições principais.

Lutando contra a seletividade alimentar? Conte comigo!
Se seu filho está passando por isso e você não sabe como resolver a situação, é essencial buscar orientação profissional! Entre em contato comigo para ter um atendimento sensível e qualificado sobre nutrição infantil.

Clique para saber mais!
Receba nossa newsletter!